Que queres de mim, Senhor?

Atualizado: 4 de Set de 2019


Vocação é um chamado especial de Deus na vida de cada pessoa. Ninguém escolhe, mas é escolhido pelo Senhor. Deus chama porque ama; Ele nos criou por amor, e nos criou vocacionando (chamando).


A nossa vocação primeira é à santidade como diz a constituição dogmática Lumem Gentium, por ocasião do Concílio Vaticano II: "(...) todos na Igreja, quer pertençam à Hierarquia quer por ela sejam pastoreados, são chamados à santidade, segundo a palavra do Apóstolo: 'esta é a vontade de Deus, a vossa santificação' (1 Tess. 4,3; cfr. Ef. 1,4). Esta santidade da Igreja incessantemente se manifesta, e deve manifestar-se, nos frutos da graça que o Espírito Santo produz nos fiéis." (n. 39).


Depois, cada um tem sua vocação específica (à vida sacerdotal, matrimonial, consagrada...), que é um meio para se alcançar a santidade, que, além de ser a vocação primeira, é a mais importante. Agora resta-nos fazer a seguinte pergunta: "que queres de mim, Senhor? Onde queres que eu me santifique?". Todos — nalgum momento da vida — precisamos fazer essa pergunta ao Senhor, ela é fundamental, pois Ele nos criou e sabe o que é melhor para nós.


E, quando falamos em vocação não podemos ver Deus como "um pai severo que nos obrigada fazer o que ele quer", mas um Pai Amoroso que nos chama a fazer o que é melhor para nós.


E, diante do Seu chamado precisamos corresponder com fidelidade. Mas como seremos fiéis se só o Senhor é fiel? Pois Seu amor se renova a cada manhã: "O amor do Senhor não acaba jamais e sua compaixão não tem fim. Pelo contrário, renovam-se a cada manhã: 'como é grande a tua fidelidade!'" (Lm 3, 22-23). Diferente do nosso amor que vive oscilante, entre altos e baixos, e que, muitas vezes, é infiel. Mas o mesmo Senhor que dá a vocação dá também a graça. Se quisermos ser fiéis, precisamos incessantemente pedir a Deus esta graça, pois "as vocações nascem na oração e da oração. E só na oração podem perseverar e dar fruto" (Papa Francisco). Se quisermos saber o que Ele quer de nós, precisamos incessantemente pedir que nos mostre: "que queres de mim?".


Muitas vezes a nossa tentação é dizer: "Deus não fala comigo, eu não O escuto", quando Ele sempre fala, nós é que não sabemos escutar. Somos como Samuel: "(...) o Senhor chamou outra vez. Samuel se levantou, foi até onde Eli estava, e lhe disse: 'estou aqui. O senhor me chamou?' Eli respondeu: 'não chamei você, meu filho. Vá se deitar.' Samuel ainda não conhecia o Senhor, e a Palavra do Senhor não lhe tinha sido revelada." (I Sm 3, 6-7).


Por causa da inquietação e da agitação que vivemos, confundimos a voz de Deus com a voz mundo, e a voz do mundo com a voz de Deus. Porém devemos aprender com Samuel a ter a sua disposição, e dizer: "Fala, que teu servo escuta!" (I Sm 3, 10). Talvez Deus esteja nos chamando, mas não estamos sabendo escutar, chegou a hora de manter uma vida de oração e intimidade com Senhor Jesus para ouvir o Seu "Segue-me" (Mc 2, 14) e, a exemplo de Mateus, imediatamente seguí-Lo e viver com Ele uma história de amor, pois "todo chamado de Deus é uma história de amor única e irrepetível" (São João Paulo II). E você, está disposto a viver essa história?



127 visualizações0 comentário

© Copyright 2020  |  In Veritatem  |  Todos os direitos reservados

Quem procura a verdade busca a Deus
Logo_InVeritatem-01.png
  • Facebook
  • YouTube